Divorciada e Virgem



O conto que vou relatar é realmente verídico, aconteceu comigo há alguns anos atrás quando eu estava fazendo minha segunda faculdade. Na época eu tinha uns 25 anos e era solteiro ainda. Bom, eu estava na faculdade e era um bom aluno e tinha amizade com todos os colegas e com as meninas também. Havia uma menina na minha classe, que vou chamar pelo nome fictício de Gigi, que também devia ter seus 25 anos e fora fazer o curso apenas pra acompanhar o namorado e não tinha o menor talento pra matéria. O namoro dela acabou e ela continuou o curso só que ela vivia na minha cola pra que eu fizesse trabalhos pra ela e ajudasse ela com as notas, mas eu nunca comi ela, só ajudava por amizade mesmo. Bom um dia ela me contou que tinha uma amiga que tinha se divorciado e era meio caretona pois havia namorado desde os 14 anos com o mesmo cara e casou com o cara e depois de dois anos se divorciou, e estava toda deprimida e triste com isso e queria me apresentar ela pois achava que eu era um cara legal e tudo o mais. Bom tanto esta minha amiga Gigi quanto a amiga dela eram de familias bem abastadas e moravam em uma região nobre do bairro. Um bela noite, numa sexta-feira em final de semestre letivo eu fui pra faculdade só pra entregar um trabalho e já ia me mandando quando a Gigi chega e num bate-papo normal, como sempre rolava, me convidou pra comer pizza na casa dela com a tal amiga, como seus pais estavam viajando íamos ficar só nós três no papo com cervejinha e pizza, também não tinha ninguém na faculdade naquele dia e eu estava sem meu carro e sem compromisso melhor eu aceitei sem a menor das má intenções. Entrei no carro dela e fomos até o apartamento dela, chegando lá, um apartamento bem amplo e bem decorado, ela me instalou numa sala de TV e colocou uma fita de vídeo do aniversário dela e me deu uma cerveja enquanto ela ligava pra amiga e pra pizzaria. Em poucos minutos depois com ela me mostrando quem eram as pessoas na fita e tomando a cervejinha chegou a tal amiga. Eu bati o olho nela meu coração disparou, uma garota de 27 anos, uns 1,65 m de altura, quadris largos, barriguinha reta, seios médios pra grandes, coxas grossas, cabelos castanhos meio lisos, branquinha, uma italianinha lindinha, beleza realmente européia com aquele rostinho de lábios médios bem rosinha e nariz aquilino fininho e ainda por cima usando óculos (adoro mulher de óculos), vestindo calça jeans sem cinto e uma blusinha tipo camiseta curta até a cintura, vou chamá-la pelo nome fictício de Sofia. A Gigi nos apresentou, a Sofia sentou no sofá ao meu lado e começamos a bater-papo. Depois de bastante papo as pizzas chegaram e nossa amiga Gigi foi receber na entrada de serviço, enquanto eu e a Sofia estávamos numa conversa animada que não lembro o que era mais, foi nesse momento que eu me estiquei pra encher o copo dela com mais cerveja e nossos rostos ficaram coladinhos, ela olhou nos meus olhos e eu colei meus lábios nos dela num beijo longo e quente ela correspondeu e, de repente, o negócio pegou fogo, sem descolar os lábios eu coloquei a garrafa sobre a mesinha e enlacei a cintura dela, deslizei a mão pra sua barriguinha reta e ela começou a gemer baixinho sufocado pela minha boca e eu apertando ela ainda mais pra mim comecei a sentir seu coração disparar. Isso foi me deixando meio louco de tesão e deslizei minha mão pra dentro da camisa dela e encontrei o seio direito dela sem sutiã, ela não protestou e senti o coração de Sofia bater mais forte, encaixei minha mão em concha no bojo do seio dela e com os dedos indicador e o polegar segurei o seu mamilo já durinho e tesudo. Nisso ouvimos a Gigi chegando com as pizzas e pedindo ajuda com pratos e talheres e nos soltamos rapidamente. A Gigi olhou desconfiada pra gente e deu um sorrisinho sacana, colocou as pizzas na mesinha e falou que ia pegar os pratos e talheres e saiu de novo da sala. Nos olhamos novamente e simultaneamente nos agarramos e novamente demos outro ardente beijo. Quando eu deslizei minha mão novamente por dentro da blusinha dela, ela a deteve e me convidou pra ir até o apartamento dela que era no prédio ao lado. Então eu disse pra comermos uns pedaços de pizza e irmos depois senão ficava chato largar a Gigi com as pizzas lá sozinha e ela concordou. A Gigi voltou com os pratos e talheres e comemos algumas fatias de pizza e em meia hora nos despedimos da Gigi (que já tinha entendido tudo) e fomos para o apartamento da Sofia. Chegando lá, descobri que ela morava sozinha, pois quando ela casou o pai dela deu o apartamento de presente pro casal e depois do divórcio ela continuou nele sozinha, era um apartamento menor que o da Gigi mas também muito bem decorado. Já no elevador eu a agarrei e a beijei novamente, dentro do apartamento fomos para a cozinha onde ela pediu para eu abrir uma garrafa de vinho branco e fomos pra sala com a garrafa aberta e as taças, demos alguns goles e começamos a nos beijar novamente e minhas mãos dançaram no corpo dela, deslizei pela barriga, subi para os seios e ela arfando e gemendo como nunca tinha visto uma mulher fazer, ela parou de me beijar e jogou a cabeça pra trás no encosto do sofá e eu comecei a beijar e lamber suas orelhas e pescoço com um braço em volta da cintura dela e a mão livre descendo dos seios pra barriga dela e lentamente abri suas calças e escorreguei a mão livre por dentro da sua calcinha, encontrei um monte de venus com penugem vasta porém bastante macia e ela que antes gemia e ofegava sem parar começou a rebolar levemente ajeitando, meio sem querer, a minha mão dentro das suas calças, encontrei seu clítoris e comecei a acariciá-lo com movimentos circulares, sua xaninha já estava bem molhada o que me deixou mais tesudo ainda, com a outra mão levantei a sua blusinha e caí de boca nos seios e suguei e lambi os mamilos com vontade. Em poucos segundos ela começou a arfar com mais intensidade e o rebolado ficou mais cadenciado e senti ela gozar longa e profundamente, ela retesou o corpo com força e soltou de uma só vez, recostando o corpo no sofá ainda arfando. Eu parei um pouco pra ela tomar fôlego, peguei a taça de vinho e entreguei pra ela que tomou um longo gole e me devolveu, tomei o resto e encostei a taça na mesinha lateral e me debrucei sobre ela e a beijei novamente, ela voltou a arfar e eu, ainda a beijando, arranquei cuidadosamente sua camiseta e vislumbrei um lindo colo de mulher com a pele repleta de pintinhas e pequenas manchinhas de sol parecendo uma oncinha pintada e um par de seios bojudos e com biquinhos rosados e durinhos, vendo tudo aquilo comecei a beijar, lamber e chupar tudo com vontade e tesão, desde o pescoço, clavícula e seios até o umbiguinho e virilha enquanto arrancava sua calça e calcinha com as duas mãos, continuei beijando e descendo mais até encontrar a já citada vasta penugem castanho-claro muito macia e cheirosa, quando ia abocanhar o seu grelinho ela me segurou os ombros com as duas mãos me afastando e dizendo que precisava me dizer uma coisa. Larguei-a meio a contragosto e me sentei ao seu lado e ela me contou que começou a namorar com 14 anos, noivou durante oito anos, casou e há dois anos era divorciada, perguntei por que o casamento durou tão pouco tempo e ela me disse que o marido não conseguia fazer amor com ela, varias coisas passaram pela minha cabeça menos o que ela me revelou em seguida, tanto que ela continuava virgem, fiquei bastante curioso e perguntei como tinha acontecido (ou não acontecido) ela me disse que havia todo o tesão mas quando chegava a hora da penetração o marido sempre falhava, devia ser por que ela fora sua primeira namorada e sempre teve respeito por ela por que suas famílias eram amigas e coisa e tal, tanto que o rapaz tentou alguma coisa fora do casamento e conseguiu e acabou ficando com a amante. Pensei comigo: nunca vi nada igual, deve ser macumba da braba encima do coitado. Ela chorou, pediu desculpas, falou que tinha adorado tudo que a gente fez e tudo mais, eu disse pra ela não se preocupar entreguei a camiseta dela que estava no chão e pedi pra ir ao banheiro pois naquela altura meu pau já tinha desistido mesmo e queria era dar uma mijadinha. Entrei no banheiro que ficava no fundo do corredor, deixei a porta aberta, mijei e me virei pra pia lavei as mãos e estava me secando quando ela entrou no banheiro me abraçou por trás e me virou, rapidamente arrancou meu pau pra fora das calças (que já estava em posição de sentido de novo) e abocanhou a cabeça dele com vontade, e sugou maravilhosamente, lambeu de cima a baixo, punhetou e engoliu até a cabeça bater no fundo da garganta. Ficou nessa por uns 10 minutos (eu tenho um problema que é que por melhor que seja a boquete eu não consigo gozar, sempre foi assim e nunca descobri por que) quando ela cansou levantou e me abraçou, eu a virei e a sentei na pia do banheiro abri suas pernas e fui enterrando a rola no meio das suas pernas (na verdade queria atestar se toda a história era verdadeira ou não) e apesar da umidade gigante da xaninha dela o meu cacete não entrava parecia que tinha acertado outro buraco de tão apertado que estava, enfiei minhas duas mãos por baixo dos dois joelhos dela e puxei o corpo dela mais pra perto de mim, senti a cabeça do pau entrar quebrando as pregas da xaninha dela e comecei a deslizar lentamente pra dentro dela, no momento que a cabeça do meu pau passou ela arregalou os olhos e engoliu seco e senti seu corpo retesar um pouco, quando já estava com mais da metade do meu pau dentro dela parei de socar e comecei a beijar seu pescocinho e suas orelhinhas, ela começou a gemer e rebolar devagarinho no meu cacete, então meti o resto pra dentro e comecei a tirar e socar novamente num vai-e-vem alucinado por vários minutos até que ela começou a gozar agora de forma diferente que da primeira vez agora bem relaxada e gemendo muito, eu não aguentei e tambem gozei lotando a xotinha dela de porra. Ficamos abraçados e engatados por uns minutos então ajudei ela a levantar e pude ver a xaninha dela escorrendo sangue e porra pelas pernas e pingando no piso do banheiro entre os seus pézinhos. Acabei de tirar minhas roupas e abracei-a e a direcionei para o box do chuveiro, enquanto ela se lavava entre as pernas, viu todo o sangue que saiu da xaninha dela e começou a chorar de felicidade, eu a abracei e tomamos o banho juntos.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.





Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


7329 - O melhor rabo que eu tracei - Categoria: Travesti - Votos: 0

Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico demolidor

Nome do conto:
Divorciada e Virgem

Codigo do conto:
5903

Categoria:
Heterosexual

Data da Publicação:
14/09/2005

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


Contos eroticos usando botas e luvascontos heroticos o timido porem gostoso irmao da namoradacontos eroticos comendo uma carcereiracomeram meu cu no luau contoscontos eróticos com tiacontos porno de menage masculinaContos eróticos dormindo do ladocontos eroticos chantageada pelo cunhadocontos eroticos dona veraamamentando o eletricista contoscontos eroticos tudo em familiaFoto de gay pauzuda em ctbaconto erotico falei pra ela que um cara quer elacontos eroticos casada pegou no meu paupraia de nudismo conto eroticocontos com sogras tetudascontos er salienciashantae ninfomaníaca chantagiadascomi cu da minha madrasta na casa do meu paicontos.comsexo bizarro zoofilia Contos animais e tigresContos deixou padrasto gosa dentro por dinheiromeu patrao enrabou minha esposa na fazenda. conto eroticocontos eroticos de traicao com bem dotadoscasal praticante de zoofiliacontos eróticos forcada pelo porteiro salvadorMacho pauzao novinha foto contovideos sexo incesto filha desfila nua pela casa enquanto pai a olha ate nao aguenta mais de tezao e fude elacontos eroticos engravidando a loiraconto porno real na estrada com fotos Contos eróticos amor a primeira vista lesbicoesposa com caseiro conto eroticocontos uma esposa safadaWww.videopornoestoriaVideos Gay Sentei na vara do namorado da minha primacontos eroticos filho infanciagenrrocontoeroticoQuadrinhoseroticosirmasenfiando a pika na priminha da 8 aninhos contos eroticosfudendo minha tia patrícia carente faz tempo contoscontos negao tarado xavecando casada difícilconto gay incesto irmãosxoxotas peladinhas com tezao enfiando os dedoscoroas metendo no forum eróticoscontopequeno tio agarrou os seios e mamou nos seios damocaTesao de muler gostosas bucetudasconto erótico minha visita na fazendaempregadafragantecontos eroticos de madura desvirginando novinhoquadrinhos porno3d trancadoscomto.eroticos. mastubacaoquadrinho erotico gay cuzinhoo pastor me comeu na marra com pauzao enorme contosconto erotico novo 2017corno e fotohistória erótica real gorda envergonhadaPorno conto erotico fodendo a maninha no meio de uma forte briga entro os doiscontosanimespornopornoponogaycontos de sexo na mataContos eróticos de incesto ai mamae que chupetinha mais gostosa é essaputinhas do mirandolamia sogra nuaconto erotico perfil lcsconto erotico punhetei o meninoporno amador novinha tendo orgasmo prolongadorevistas em qadrinho de mae dando a buceta pro filhoconto erotico mulher e filha do caseiro da chacaracontos fotos minha amiga no cinemacontoeroticocontos banheiro gaycontos eroticos depois de ganhar a posta amarrei minhas duas primas e fui tirando toda as roupas delas ate ver as bucetinhascontos eróticos meu primo comeu minha b***** no carroContos eróticos carnaval com marido dei muitozoofelia com cazaisDesenho erotico o dia da sograme foderam gostoso aforça e gemi contoconto erotico perfil lcsconto erotico ia ser corno de qualquer jeitootona no asobi adult gamesviciada em porra conto viciadasobrinha rabudaConto agarrei e comi elacontos eu e meu irmao fazendo suruba com nossa maeEu fui fudida pelo meu padrinhoconto erotico vi minha sogra se masturbakomiks porn story cartoon momconto erótico gay queria mas não aguentouconto gay vizinho cabaço